Rescisão com Domènec trava e Flamengo busca soluções imediatas

Mesmo depois de um longo tempo que deixou o Rio de Janeiro, treinador ainda não teve sua rescisão acertada, principalmente em decorrência da exigência feita por seus auxiliares

Rogério Ceni já está no comando no Flamengo há um tempo, mas quarenta e três dias desde a demissão, Domènec Torrent ainda não definiu a rescisão contratual com o Flamengo. Mesmo após já ter se acertado com advogados do espanhol há duas semanas, esbarrou em exigências feitas nas tratativas com seus três auxiliares e comunicado na última segunda-feira (21).

O clube já reiterou sua posição alegando seguir as leis trabalhistas vigentes no Brasil, mas o impasse se dá pelo desejo de Jordi Guerrero, Jordi Gris e Julián Jiménez que fique estabelecido que têm o direito de recorrer ao CAS (Corte Arbitral do Esporte) caso o Rubro-Negro não cumpra o combinado. A possibilidade está presente no acordo com ex-treinador, mas o clube argumenta que trata-se de vínculos distintos e que o montante de 130 mil euros (R$ 815 mil) que os auxiliares têm direito não justifica tal resolução.

Conforme públicou o GloboEsporte.com, o trio teve carteira de trabalho foi assinada de acordo com a CLT, enquanto o treinador seguiu a prerrogativa da Lei Pelé, com divisão entre CLT e direitos de imagem, o que é habitual em valores maiores. Diante do conflito, Dome prestou solidariedade aos companheiros de comissão técnica e travou o acerto para receber 1,8 milhão de euros (cerca de R$ 11 milhões) pela rescisão.

Clube busca solução para finalizar o contrato – Foto: Alexandre Vidal/Flamengo.

No ato da demissão, o Flamengo já havia definido que iria pagar “de cara” a parte relativa aos direitos de imagem. Porém, a parte trabalhista seria quitada até o fim do contrato, que tinha validade até janeiro de 2022. Com o imbróglio, o departamento de futebol ficou de retomar as tratativas com os espanhóis, que voltaram recentemente para casa após longo período de férias no Brasil.

Com uma passagem que dividiu muito opiniões dos torcedores, Dome comandou o Flamengo em 26 jogos, com 15 vitórias, cinco empates e seis derrotas, com um bom aproveitamento de 63,8%, mas não resistiu as duas goleadas seguidas no Campeonato Brasileiro, sofridas para São Paulo e Atlético-MG.

Fonte: Bola vip