Felipe Melo condena racismo, mas pede calma com o caso Gerson

Volante do Palmeiras entende que contexto deve ser levado em conta

Felipe Melo se pronunciou diante das acusações de racismo de Gerson contra Juan Pablo Ramírez, na vitória do Flamengo por 4 a 3 sobre o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro. O meia do Palmeiras afirmou que o assunto racismo deve ser discutido e combatido diariamente, não apenas quando atinge uma figura pública. 

“É uma situação que temos que combater no nosso dia a dia. Não tem que deixar acontecer, como foi com o Gerson para começar a falar. A gente vê um policial, um cidadão no supermercado, que são chamados de ‘negro’, alvo de racismo. A nossa luta tem que ser diária, antes de acontecer com uma pessoa pública para combater, exterminar o racismo”, disse o meio-campista do Palmeiras em participação no Arena SBT, na última segunda-feira.

Ainda assim, o volante pediu calma e entende que os dois lados da história precisam ser ouvidos. Felipe Melo afirma que o contexto deve ser levado em conta.

“Tem uma diferença muito grande entre falar um ‘cala a boca, negão’ sem querer ofender, como eu já ouvi, e chamar de ‘macaco’, por exemplo, como já aconteceu comigo contra o Peñarol. Então, tem que ouvir os dois lados, entender porque o outro falou. Por ser colombiano, ele pode entender um ‘negão’ como algo comum, assim como eu brinco com meu pai às vezes. É importante combater, eu educo meus filhos para tomarem muito cuidado com o que falam”, completou.