Hugo Moura vira estratégia do Flamengo para comprar Thiago Maia

Segundo portal Coluna do Fla, vice de futebol Marcos Braz não deve fazer grandes investimentos na próxima temporada e nomes como Hugo Moura e Yuri César devem ser reaproveitados no elenco. Manobra é para guardar dinheiro para adquirir volante do Lille em definitivo por 7 milhões de euros

Em um ano atípico marcado pela pandemia de Covid-19, os clubes brasileiros precisaram se adaptar ao calendário ainda mais apertado. Com as competições oficiais tendo prazo até fevereiro para terminarem, há a necessidade de tomar decisões fundamentais para o planejamento da nova temporada. No caso do Flamengo, a dupla Marcos Braz e Bruno Spindel já começou a fazer isso.

Em um espaço de 15 dias, a diretoria do Flamengo anunciou a compra em definitivo de Pedro junto à Fiorentina e a renovação de Diego Alves até o fim de 2021. Para completar, os cariocas estão em trâmites finais de estender o empréstimo de Thiago Maia até dezembro-21, com os franceses do Lille pagando os salários do volante enquanto ele recupera de cirurgia no joelho esquerdo.

Pelas engenharias financeiras para comprar Pedro da Fiorentina e especialmente por conta das eliminações precise na Libertadores e na Copa do Brasil, o Flamengo não terá tanto poder de investimento em 2021. Especialmente porque um reforço que Braz e Spindel já monitoram é Maia – o Flamengo terá que desembolsar 7 milhões de euros em dezembro do próximo ano para adquirir 50% dos direitos do meio-campista. Com isso, as primeiras alternativas de compor o elenco de Rogerio Ceni são os atletas emprestados.

O volante Hugo Moura e o atacante Yuri César são os únicos na lista de Ceni que deverão ser aproveitados a partir de março, informa o portal Coluna do Fla. Ambos já foram aprovados internamente por Ceni e vão voltar ao término de seus vínculos em Coritiba e Fortaleza, respectivamente.

Thiago Maia tem preço de 7 milhões de euros para ser adquirido pelo Flamengo ao fim de 2021 (Foto: Getty Images)

Yuri César já conhece o trabalho de Ceni desde os tempos do Tricolor de Aço, inclusive foi o treinador quem indicou o meia-atacante ao Fortaleza. Em 2020, o atleta de apenas 20 já foi sondado por Real Madrid, Valladolid, Roma e clubes do mundo árabe, porém o Flamengo recusou negociá-lo.

Ele deve chegar para um setor hoje formado por Bruno Henrique, Vitinho, Michael, Rodrigo Muniz e Pedro Rocha. O úlltimo não vai ficar para 2021, assim como Lincoln, o que deve abrir espaço ao garoto do Ninho. Hugo, por sua vez, deve ter mais chances, já que o meio de campo hoje só tem Willian Arão e João Gomes como alternativas a Ceni. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui