Após a partida, Mano diz que Gerson ‘estava bem alterado’ e justifica reação à acusação de racismo

O caso de injúria racial sofrido por Gerson na partida do último Domingo, onde o Flamengo derrotou o Bahia por 4×3, está dando o que falar, e com toda razão. O volante rubro-negro foi injuriado pelo meia do Bahia, o Argentino Ramirez, durante uma discussão em campo, proferindo as seguintes palavras: “cala a boca, negro”.

Mano Menezes, técnico do Bahia (o treinador foi demitido do cargo após o jogo), foi acusado de desdenhar do ocorrido, durante a partida, dizendo que Gerson estava de “malandragem”. Após a partidao confronto, durante a coletiva da equipe Baiana, o então treinador explicou a situação e se posicionou sobre a mesma:

“Nós não temos imagens, ou fato de Ramirez falando algo desse tipo para o Gerson.  Então, quando não temos, ficamos do lado do nosso jogador. O que pareceu naquela hora, foi que tínhamos crescido no jogo e que estava tendo uma tentativa de paralisar o jogo, de tumultuar, tirar um jogador nosso também com um cartão vermelho para igualar as coisas.”, explicou Mano

O treinador falou também da reação de Gerson e que condena qualquer atitude racista.

“Gerson estava bastante alterado, xingou todo mundo e aí houve uma tentativa nossa de defender o nosso, mas sempre dentro da questão do jogo, nada de defender uma atitude errada. Se a atitude errada aconteceu, não defendo erro e pela conversa que tive com o presidente Guilherme, não vai haver defesa de uma coisa errada, só vamos ver o que realmente aconteceu”, encerrou o treinador.

Gerson e o restante do elenco rubro-negro, iniciam a preparação para o confronto diante do Fortaleza, fora de casa, no próximo Sábado, às 19:00, pelo Brasileirão.