Sem clima no Flamengo, Lincoln completa 20 anos e aguarda propostas para encerrar ciclo no clube

Atacante espera a abertura da próxima janela de transferência para receber ofertas e se despedir do Rubro-Negro

Fazer aniversário é uma mudança de ciclo, um começo de uma nova trajetória. É o caso de Lincoln, que completa 20 anos nesta quarta-feira e aguarda a definição do seu futuro. A única certeza é que no Flamengo não há mais clima para seguir, o que não quer dizer que o jogador irá aceitar qualquer proposta.

Foi o que aconteceu com o Pafos, do Chipre. O clube tentou a contratação de Lincoln, se acertou com o Flamengo, mas ficou longe de acordo com o jogador, que não tinha interesse de atuar no Campeonato do Chipre, mesmo sendo uma oferta salarial milionária, que ficou apenas na promessa e não chegou. Um dos motivos foi que o time cipriota viu um “rebaixamento” e uma desvalorização do próprio Rubro-Negro no seu ativo, o que fez o desejo esfriar.

Diante do atual cenário, com Lincoln afastado do elenco profissional e treinando no Sub-20, o Flamengo assumiu um risco e sabe, internamente, que se antes recebia proposta com valores significativos, as ofertas que chegarão na próxima janela poderão ser menores, tendo em vista que o atacante vive um momento de desvalorização.

Lincoln tem cumprido bem a sua rotina de atividades no Ninho do Urubu. Entretanto, não tem sido relacionado para os jogos do Sub-20r porque não tem interesse de atuar pela categoria inferior. Nos bastidores há quem diga que o atacante teme sofrer uma grave lesão e isso atrapalhar uma futura negociação.

COMEÇO DO DESGASTE

A relação entre Flamengo e Lincoln se desgastou no dia 2 de dezembro, quando Bruno Spindel ligou para o atacante para pedir que ele viajasse às pressas para Salvador para reforçar o time sub-20. A solicitação não caiu bem nem com o jogador e muito menos com os seus representantes. Inclusive, o seu principal agente, Victtão Remiro, bateu boca com o diretor executivo rubro-negro pelo telefone, e os dois chegaram a trocar xingamentos.

Na ocasião, Spindel ameaçou, dizendo que se Lincoln não fosse para o jogo do Sub-20, ele seria afastado do elenco principal. Promessa cumprida. No dia seguinte, no dia 3 de dezembro, o atacante se apresentou ao técnico Rogério Ceni, mas foi advertido pela diretoria e liberado da atividade. Na ocasião, o jogador percebeu que o seu material esportivo sequer estava no vestiário e saiu do Ninho do Urubu bufando, segundo relatou uma fonte.

“O cara bateu a porta do carro muito forte. Estava revoltado”, disse a pessoa que viu Lincoln deixar o CT.

De lá para cá, Lincoln mantém a sua rotina de treinamentos com a categoria de base. Quando o Sub-20 folga, o atacante participa da atividade com a “baba”, que são os jogadores que sequer são relacionados para jogos. O comprometimento, porém, não muda a sua decisão e nem a do seu estafe: não entrará em campo pelo Sub-20.

A decisão é porque no entendimento deles, o Flamengo tomou a atitude de deixar o atacante treinando com a base apenas por retaliação, após recusa de reforçar o Sub-20 no dia 3 de dezembro, contra o Bahia.

Enquanto isso, os representantes de Lincoln trabalham em busca de propostas, que devem chegar em janeiro e, assim, acontecer a despedida de forma melancólica do atacante do Flamengo, clube que ele começou a dar os primeiros tapas na bola ainda criança.