Flamengo se reapresenta para jogo que pode marcar o adeus de Diego Alves ao Maracanã

Hoje com 157 jogos pelo Fla, goleiro está na iminência de ir para o seu derradeiro compromisso no Maracanã vestindo rubro-negro. Duelo de domingo será contra o Bahia

Sem o calor da torcida e contra a vontade do elenco, Diego Alves pode estar dando início a semana de seu último jogo pelo Flamengo no Maracanã. Isso porque, o elenco rubro-negro se reapresenta nesta terça-feira, após folgar ontem, visando o jogo contra o Bahia, às 18h15 deste domingo e válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O confronto não teria uma carga emocional se não fosse pela provável despedida de Diego Alves ao vestiário do Maracanã. A probabilidade elevada, hoje, se dá pelo imbróglio envolvendo a sua renovação de contrato, a expirar no dia 31 deste mês, sem acordo entre as partes quanto à última proposta.

No último domingo, Diego Alves, em uma decisão tomada por Rogério Ceni, atuou na vitória contra o Santos (por 4 a 1) com a braçadeira de capitão e viu Gabigol comemorar um dos gols indo à sua direção, em um nítido recado sobre a importância e liderança do camisa 1 no plantel.

Filipe Luís já havia externado que Diego Alves, mesmo sem acordo para permanecer, “tem treinado como se fosse o primeiro dia dele no clube”. E Ceni também elogiou o goleiro pelo lado profissional, ao ser questionado sobre as negociações pela renovação. 

– Todos sabem da capacidade dele. A direção faz o melhor que pode, mas é decisão muito particular dos dois. Não quero entrar nessa questão. É deles, tem a parte financeira, não trabalho com isso. Só posso dizer que ele é um baita profissional, assim como o Hugo Souza, o Cesar, que é um baita menino. Não me envolvo na parte financeira, mas todos sabem do carinho que tenho por ele. Acho um ótimo profissional – falou Rogério, em recente coletiva. 

Leia mais: Pelo Flamengo, Filipe Luís iguala marca atingida no Atlético de Madrid

Contudo, a comoção do elenco e pressão da Nação nas redes sociais não têm surtido efeito internamente. A diretoria do Flamengo, por conta do departamento financeiro, que emperrou o acordo inicial entre Bruno Spindel (diretor executivo de futebol) e estafe do goleiro, cujos valores eram maiores, não sinaliza oferecer uma terceira proposta com vencimentos superiores a R$ 600 mil mensais (estipulados na oferta mais recente).

Por ora, sem acordo pelo “fico”, Diego e Fla mantêm o ar de iminente adeus. Desde 2017 no clube, o goleiro soma 157 jogos e seis títulos: Libertadores, Brasileiro, Carioca (2), Supercopa do Brasil e Recopa Sul-Americana.