‘A torcida do Flamengo e os jogadores devem ter uma comunhão, como foi em 2019’, diz Filipe Luís

Lateral-esquerdo concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira e abordou diversos assuntos envolvendo o Rubro-Negro carioca

O lateral-esquerdo Filipe Luís concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, antes do treino, e abordou diversos assuntos envolvendo o Flamengo, que se prepara para pegar o Santos no domingo, às 16h, no Maracanã, pelo Brasileirão. O experiente jogador foi questionado sobre os recentes protestos de torcedores rubro-negros que, após a queda na Copa do Brasil e na Libertadores, cobram o título do Brasileirão 2020.

Filipe Luís deu razão aos torcedores, mas ressaltou a importância da relação do elenco do Flamengo com os rubro-negros.

“A torcida e os jogadores devem ter uma comunhão, como foi no ano passado. E isso só acontece quando as coisas vão bem e sabemos muito bem disso. A partir do momento que eu estava na Espanha, na minha casa, eu sabia que a torcida do Flamengo é muito exigente. Essa exigência me motiva. Ninguém gosta de receber xingamentos da torcida. Que existe o protesto é normal. Queremos muito ganhar esse título.”

Outros pontos da entrevista coletiva de Filipe Luís:

Sobre churrasco no CT:

Engraçado isso ser notícia. É um almoço que a gente faz todos os meses. Antes de Rafinha já fazíamos. Todos os jogadores, diretores, comissão técnica, tem esse almoço em conjunto para que a gente possa se conhecer mais.”

Comparação com 2019:

“A etapa do Jorge Jesus acabou. A partir do momento que ele decidiu voltar para o Portugal, acabou. Triste, pois ele era um pai, um gestor de clube. A decisão foi traumatizante. Não importa quem viesse. Qualquer mudança, mínima que fosse, ela seria muito questionada”.

Desempenho da equipe em 2020:

“Sempre que perde um jogo, que é eliminado empatando os dois jogos, só se olham os erros. Me atrevo a dizer que o segundo jogo contra o Racing foi um dos melhores que a gente fez.”

Duelo com Marinho no domingo:

“Marinho é o jogador mais difícil de marcar no Brasil. Elétrico o jogo inteiro. Talvez não se esforce tanto na marcação, mas não é a função dele. Vai ser um jogo de exigência máxima.”

Possibilidade de Diego Alves sair:

“Diego é um cara importantíssimo pra gente, para os jogadores, para o clube. Um cara que fez história e continua fazendo. É um cara que a gente deseja e quer que tenha essa final feliz”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui