Em nota oficial, Flamengo explica decisão da Justiça sobre redução da pensão às famílias das vítimas no CT

Clube alega que "Ministério Público não pode representar individualmente as famílias das vítimas do incêndio" e diz que seguirá prestando assistência material

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)

Após a Justiça acatar parcialmente o recurso do Flamengo e reduzir a pensão às famílias das vítimas do incêndio do Ninho do Urubu, a diretoria rubro-negra se pronunciou sobre o caso. Em nota oficial divulgada no site, o clube alegou que o Ministério Público não pode representar individualmente os familiares e declarou que seguirá prestando assistência material mensalmente.

Confira a nota do Flamengo:

“O Clube de Regatas do Flamengo esclarece que a questão judicial hoje julgada pela 13ª Câmara Civil reconheceu que o Ministério Público não pode representar individualmente as famílias das vítimas do incêndio no Centro de Treinamento George Helal, já que os pais são maiores, capazes e representados por seus advogados. Assim, não pode o MP postular judicialmente em seus lugares.

O que ocorreu, portanto, foi uma questão processual que apontou a ilegitimidade do MP para agir individualmente em prol de terceiros. Não obstante, o Flamengo informa que não deixará de prestar assistência material mensalmente às famílias e que está aberto a fazer acordo, como já fez com seis famílias e meia, ou seja, com a maioria dos responsáveis dos garotos que, infelizmente, faleceram no CT.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui