Maradona: De ídolo argentino à ídolo Rubro-Negro; o carinho entre Dieguito e a Nação

Dia triste para os amantes do futebol. Nesta quarta-feira (25), Diego Armando Maradona morreu aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória. O maior ídolo do futebol argentino, no entanto, não conquistou apenas uma nação e sim muitas. Entre elas, a Nação Rubro-Negra. O ex-jogador não chegou a vestir a camisa vermelha e preta, mas cativou uma relação de carinho com o Mais Querido ao longo de sua vida.

Em 1991, Maradona passou por um dos momentos mais difíceis de sua carreira, ao ser suspenso pela Fifa por 15 meses, depois de ter sido pego no exame de doping, quando ainda jogava pelo Napoli. Um mês depois, o Flamengo enfrentava o Boca Juniors, em partida válida pelas quarta de final da Libertadores no estádio La Bombonera. Antes da partida, surpreendentemente, o time do Flamengo entrou em campo com uma faixa que dizia: “Maradona, Flamengo te ama. Hoje e sempre”; a ação que foi feita em solidariedade ao jogador, foi aplaudida por toda a equipe do Boca Juniors e a torcida.

O resultado do jogo acabou não sendo favorável para o clube carioca, mas a faixa foi tão bem recebida que passou a ser usada pela principal torcida organizada do clube argentino, a “La 12”. Desde então, a admiração entre o jogador e clube era mutuamente cativada e ficou eternizada; sem falar da amizade pessoal com o ídolo Zico. Através da amizade, Maradona até virou torcedor do Flamengo. Exemplo dessa boa relação, foi a excelente recepção da diretoria do Boca Juniors à diretoria do Flamengo na última segunda (23), um dia antes da partida contra o Racing no estádio La Bombonera.

Descanse em paz, ídolo!

SRN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui