Samir, ex-Flamengo, fala ao Esporte News Mundo: “Quando eu voltar, a preferência será o Flamengo”

FOTO: DIVULGAÇÃO/UDINESE CALCIO

Prestes a completar 100 jogos com a camisa da Udinese, o zagueiro Samir, ex-Fla, concedeu entrevista exclusiva ao Esporte News Mundo e comentou sobre o Flamengo, sua trajetória na Itália e a expectativa de retorno à Seleção Brasileira.. Confira!

Cria da Gávea

Revelado pelas categorias de base do Flamengo, Samir ganhou a primeira chance no elenco principal aos 18 anos, em junho de 2013, e conquistou dois títulos: a Copa do Brasil logo no primeiro ano como profissional e o Campeonato Carioca em 2014. Mesmo à distância, o ex-jogador rubro-negro afirmou que acompanha os jogos do Flamengo e que vai dar preferência ao clube quando retornar ao Brasil.

“Eu acompanho sempre que posso. Quando tem jogo de noite, fica mais difícil porque são cinco horas de diferença da Itália para o Brasil, mas quando o jogo é à tarde, eu consigo assistir (…) Quando eu voltar, e com certeza voltarei, a preferência será o Flamengo.”

Chegada à Udinese

Em destaque no Flamengo, “Samito”, como era chamado pela torcida, despertou o interesse de clubes europeus e foi contratado pela Udinese por 16 milhões de reais no final de 2015. Há quase cinco anos na Europa, Samir atribui seu desenvolvimento como zagueiro ao futebol italiano.

“A vinda para a Itália foi essencial porque aqui eles exigem muito comprometimento tático e eu melhorei bastante nesse aspecto. O futebol italiano é uma grande escola de defensores. Eu aprendi muito, sigo aprendendo e espero crescer cada vez mais como jogador.”

Samir, que já foi escalado até como lateral-esquerdo, acumula 95 jogos e cinco gols marcados pelo clube italiano. Hoje, com 25 anos, o zagueiro tem contrato até junho de 2023.

Seleção Brasileira

As boas atuações na Itália lhe renderam a primeira convocação na Seleção Brasileira em setembro de 2019, para os amistosos contra Colômbia e Peru. Um ano depois, Samir demonstra estar focado em busca de novas oportunidades para defender a Amarelinha.

“A Seleção vai ter diversas partidas pela frente nos e eu vou sempre estar motivado para beliscar mais uma oportunidade, mas se eu quiser chegar lá, eu preciso estar bem fisicamente para poder entregar o meu melhor quando essa oportunidade aparecer.”

A pandemia provocada pelo novo coronavírus resultou no adiamento da maioria das competições internacionais. Por essa razão, nos próximos meses, a Seleção vai encarar uma sequência de jogos válidos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, e no ano que vem, encara os compromissos da Copa América e das Olimpíadas de Tóquio.

Fonte: EsporteNewsMundo