Coronavírus não interfere nas negociações do Fla com Diego Alves

O diagnóstico positivo do goleiro não atrapalhou o seu processo de renovação com o Flamengo.

Diego Alves com troféu de campeão da Libertadores pelo Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

O GLOBO: Diogo Dantas
O protocolo de quarentena pelo qual Diego Alves será submetido, após testar positivo para Covid-19, vai dificultar a sua volta ao gol do Flamengo, mas antes disso o goleiro já era dúvida para a próxima partida do clube na Libertadores.

O Flamengo entra em campo dia 17 de setembro, contra o Independiente Del Valle, no Equador, três dias depois da data prevista para o fim do período de isolamento do camisa 1, que se encerra no dia 14.

Mas o problema principal nem seria a volta após a quarentena, mas a dificuldade no processo de recuperação de uma lesão parcial no tendão do ombro esquerdo, com prazo previsto de retorno de duas a três semanas.

Diego Alves precisaria de uma semana para reabilitar os movimentos do ombro e fortalecer a musculatura, para que esteja apto para os traumas, como o impacto nas quedas e chutes.

A lesão parcial é considerada mais leve, sem a necessidade de cirurgia, e o tratamento é conservador. Para isso, o goleiro recebeu equipamentos do CT em sua casa, onde ficará isolado. E profissionais do clube o orientam à distância para um tratamento em dois períodos.

Depois de recuperar a lesão, Diego Alves precisaria de tempo para voltar a sua melhor a forma física e técnica, o que só será possível com a liberação da quarentena, no dia 14. Isso se o exame que for repetido nesta data der negativo para Covid-19.

Negociações por renovação

O diagnóstico positivo do goleiro não atrapalhou o seu processo de renovação com o Flamengo. O empresário Eduardo Maluf segue tratando com Bruno Spindel e Marcos Braz para ampliar o contrato até 2022.

Havia expectativa para um desfecho positivo esta semana, mas as conversas seguem pelos próximos dias para que tudo se ajuste. O otimismo é grande dos dois lados da mesa.

Deixe uma resposta