Domènec mexeu com o brio de Arrascaeta e Éverton Ribeiro

Essa talvez seja a principal diferença entre o catalão e Jorge Jesus. O Flamengo não será mais o mesmo de 2019. O mesmo vale para as peças.

Everton Ribeiro – Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

BRUNO VOLOCH: E o Flamengo chegou.

Mesmo sem fazer força o time está colado no G4. As duas vitórias consecutivas fora de casa colocaram, aparentemente, ordem na casa. Com 11 pontos, o Flamengo fez diante do Bahia o melhor jogo sob comando de Domènec Torrent.

5 a 3, placar atípico, mas que novamente comprova a força do elenco.

Sem goleiro, sem Gabriel, sem Bruno Henrique, mas com Éverton Ribeiro e Arrascaeta inspiradíssimos. Ambos curiosamente barrados recentemente e com proposta do exterior.

Coincidência?

Óbvio que não.

Quem começa a pedir passagem é Pedro. E não é de hoje.

Não sei se Domènec Torrent terá coragem para barrar alguém na frente, afinal Gabriel e Bruno Henrique são considerados intocáveis. Mas o mesmo era dito em relação aos meias Éverton Ribeiro e Arrascaeta, portanto não será surpresa se Pedro for mantido.

Quem conquistou, com méritos por sinal, vaga no time foi Thiago Maia, xodó do treinador. Sobrou para Gérson.

Essa talvez seja a principal diferença entre o catalão e Jorge Jesus. O Flamengo não será mais o mesmo de 2019. O mesmo vale para as peças.

Domènec Torrent não tem se preocupado com os nomes e sim em fazer o time render. E pelo jeito está conseguindo.

Deixe uma resposta