Sócios do Flamengo se dizem ‘traídos’ por Landim e queimam camisas da Chapa Roxa; veja vídeo


COLUNA DO FLAMENGO: Na última quinta-feira (27), o Flamengo anunciou um reajuste de 165% no valor do plano de sócios off-Rio do clube. A partir de agora, aqueles que pagavam R$ 64,00 mensais, precisarão desembolsar R$ 170,00 para manter o compromisso com o Rubro-Negro. O aviso, enviado por e-mail aos sócios do clube, gerou revolta em diversas embaixadas e também entre torcedores. Em tom de protesto, membros que apoiaram Rodolfo Landim e seu grupo nas eleições presidenciais – realizadas no fim de 2018 – queimaram camisas da Chapa Roxa.

Desde que a direção divulgou o comunicado, Embaixadas e Consulados do Flamengo começaram a se manifestar de maneira contrária à decisão. Inclusive, não foram poucos os casos de desligamento do projeto. Alguns exemplos são Fla-Campos, a Fla-Macaé e a Fla USA, que anunciaram o boicote ao projeto ainda durante a semana.

O vice-presidente de Embaixadas e Consulados, Maurício Gomes de Mattos, passou a trabalhar juntos aos embaixadores e consules para evitar maior debandada. Vale destacar que, na votação que determinou o aumento, Mauricio teve posicionamento contrário à mudança, mas acabou vencido.

Escolha dos editores

No mesmo dia, grupos políticos do Flamengo se posicionaram em forma de repúdio: Flamengo sem fronteiras, Sócios pelo Flamengo, Flamengo da Gente e Fla+, foram os primeiros a se manifestarem. Na manhã deste sábado (29), os mesmos realizaram novo pronunciamento, ratificando a posição.

Em meio a este cenário, o grupo Flafut, apoiador da gestão atual, também se posicionou. Eles revelaram um encontro com o presidente Rodolfo Landim, no qual discutiram o aumento. Vale destacar que o Flafut faria parte da nota em conjunto com os demais, mas desistiu pouco antes de o comunicado ser divulgado.

Internamente, já há um pedido formal no Conselho de Administração para cancelar o reajuste da categoria Off Rio.

Deixe uma resposta