Conmebol manterá portões fechados na Libertadores até o fim da fase de grupos

FOTO: LUCAS UEBEL

Na última quarta-feira (26), o colunista Marcel Rizzo, do Uol Esporte, informou que os clubes brasileiros iniciaram uma articulação para que os torcedores possam voltar a frequentar os estádios a partir de novembro. Apesar das equipes terem dado este passo junto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a ideia era fazer a ‘autorização’ valer para outras competições, incluindo a Libertadores. A Conmebol, no entanto, já definiu que a conclusão da fase de grupos da competição será com portões fechados.

A informação, novamente divulgada por Marcel, dá conta de que a entidade vai manter esse posicionamento independentemente de haver ‘relaxamento’ de restrições em algum dos países do continente que estão envolvidos na disputa do torneio. Como a última rodada da fase de grupos tem previsão de acontecer no dia 23 de outubro, o objetivo é que, pelo menos até lá, os jogos aconteçam sem a presença do torcedor. Vale lembrar que, o campeonato, paralisado desde março devido à pandemia mundial da Covid-19, tem retorno marcado para o dia 15 de setembro.

Conforme o jornalista, a ideia dos clubes é que a volta de público aos estádios, inicialmente, tenha uma limitação de 30% a 50% da capacidade. Para conseguir o aval das autoridades responsáveis, as equipes tendem a pressionar os órgãos governamentais assim como foi feito para que a bola voltasse a rolar no futebol brasileiro. Se a articulação surtir efeito, o ‘ok’, teoricamente, valeria para todas as competições disputadas no Brasil, incluindo a Libertadores e a Copa Sul-Americana, com um porém: a Conmebol também teria que permitir.

Como organizadora dos campeonatos, cabe a entidade decidir se vai dar seu aval ou não. A preocupação da Conmebol, todavia, é que alguns países ou regiões liberem a presença do público, e outros não. Caso isso aconteça, a Confederação acredita que haverá um desequilíbrio técnico na competição. Passada a fase de grupos, já a partir das oitavas, a ideia é que a entidade reavalie os protocolos de saúde e segurança de acordo com a realidade sanitária de cada país em relação ao vírus.

Nos bastidores, entretanto, os envolvidos acham difícil que qualquer jogo da Libertadores tenha a presença do público liberada até a decisão, marcada para acontecer no fim de janeiro de 2021. A grande final, no entanto, marcada para acontecer no Maracanã, poderá ser uma exceção. Isso, claro, se as autoridades locais – do Brasil e do Rio de Janeiro – tiverem liberado o acesso de torcedores aos estádios. Caso contrário, a Conmebol nem deverá reavaliar tal decisão.

Vale lembrar que o Flamengo, atual campeão da competição, volta a entrar em campo no dia 17 de setembro, para enfrentar o Independiente de Valle, em Quito, no Equador. O duelo será válido pela terceira rodada da fase de grupos. Defendendo o título, o Fla é o segundo colocado do Grupo A, com seis pontos. Nos dois primeiros jogos da fase de grupos, a equipe, que na época ainda era comandada por Jorge Jesus, conseguiu duas vitórias (sobre Junior Barranquilla e Barcelona de Guayaquil).

Deixe uma resposta