Dome vê melhor jogo do Flamengo contra o Botafogo e avisa: “Para jogar de memória precisa de tempo”

Técnico Domenèc Torrent explica modificações para início de empate contra o Botafogo, no fim da partida: "Muitas vezes os melhores são os que estão em melhor forma"

Dome comandou o Flamengo no seu quinto jogo: tem uma vitória, duas derrotas e dois empates — Foto: André Durão

GloboEsporte: Depois do empate por 1 a 1 com o Botafogo, no Maracanã, o técnico catalão do Flamengo, Domenèc Torrent, justificou as alterações no time, que entrou sem Gerson e sem Arrascaeta, com Diego e Pedro Rocha. A resposta deu o tom das tentativas do treinador até aqui. Avisou que vai escalar quem estiver melhor fisicamente e também vai lançar mão do sistema mais adequado de jogo, de acordo com sua preferência.

Dome disse que considerou o melhor jogo da equipe sob seu comando, depois de cinco partidas no comando do Flamengo. O time rubro-negro tem cinco pontos na tabela do Brasileiro e deixou, temporariamente, a zona de rebaixamento.

– Nós precisamos jogar com todos os jogadores, porque temos muitos jogos. Depois do Santos, temos a cada dois, três dias, novo jogo, e precisamos rodar os jogadores. Eu falo muito com os médicos, porque é importante saber como estão todos. Mas eu queria jogar no 4-3-3, com dois jogadores entre linhas criativos, como são Diego e Éverton Ribeiro e dois jogadores mais abertos. Acho que jogamos melhor do que da outra vez (Grêmio), mas o resultado foi o mesmo. Empatamos. Acho que foi o nosso melhor jogo aqui. Trabalhamos todos esses dias jogando um pouco distinto. Vamos mudar pouco a pouco. Precisava de jogadores com outras qualidades, dar descanso a outros jogadores, porque jogaram todas – disse o catalão.

O treinador cumprimentou antes da partida Paulo Autuori, com quem bateu papo também depois dos 90 minutos. Ele fez questão de agradecer a hospitalidade que recebeu não só do alvinegro, mas também de Renato Gaúcho, na última partida (“eles têm muita experiência aqui no Brasil e compreendem perfeitamente as dificuldades”). O tema dos encontros? Tempo para trabalhar.

– Acho que precisamos, todos os técnicos, de tempo. Aqui no Brasil precisamos muito mais porque jogamos muitos jogos e quase não tempos tempo para treinar. A cada dois dias tem jogo. Então é recuperação, treinamento tático e jogo. Agora temos semana limpa, longa e podemos trabalhar conceitos. Vamos treinar dois períodos dois, três dias. Porque precisamos trabalhar conceitos. Fisicamente pouco a pouco está melhor todo o elenco. Se quiser jogar de memória precisa de tempo. Impossível só jogar, recuperação, jogar novamente. É muito difícil. Jogar com estilo muito claro é mudar coisas – disse o treinador.

Com mudanças nos últimos jogos, mas sem utilizar as cinco substituições que tem direito até aqui, Dome lembrou que vai fazer alterações de acordo com as informações que recebe do setor físico do clube. Ou seja, vai aliar a parte técnica com os níveis físicos dos atletas. E não importa quem seja.

– Por isso digo que é claro que precisamos de tempo. Só temos tempo para treinar, só para recuperar e jogar novamente. Temos que tentar jogar com os melhores jogadores em cada momento. E os melhores não são nomes, muitas vezes são os que estão na melhor forma. Vamos tentar jogar sempre com os melhores – comentou Dome.

No próximo domingo, o Flamengo enfrenta o Santos, na Vila Belmiro, às 16h. Nesta segunda-feira, o clube apresenta o lateral-direito chileno Mauricio Isla, contratado para substituir Rafinha, que se transferiu para o futebol grego.

Deixe uma resposta