Vice-presidente do Boca Juniors exalta Flamengo por direitos de transmissão: “Grande clube”

Desde que o presidente da república, Jair Bolsonaro, assinou a MP 984/2020, que altera a Lei Pelé sobre os direitos de transmissão de jogos esportivos, o Flamengo lutou pelo seu direito de negociar a exibição das partidas em que era mandante, e garantiu um feito incrível no Campeonato Carioca, ao comandar, por conta própria, a primeira transmissão ao vivo de um jogo oficial.

A luta do Mais Querido pelos direitos de exibição inspirou não apenas os rivais, como Vasco e Fluminense, que comandaram os jogos em seus canais oficiais no Youtube, mas também chama a atenção de equipes do exterior, como o Boca Juniors. Em entrevista à rádio La Oral Desportiva, Mario Pergolini, vice-presidente de um dos maiores clubes argentinos, exaltou a briga do Flamengo pelas transmissões e comentou sobre o desejo de levar a prática para o país.

– Temos discussões em andamento sobre nossos direitos internacionais, o Flamengo, por exemplo, mostrou que eles podem ser um grande clube, que gerencia suas próprias transmissões -, disse o dirigente.

Com a sanção da Medida Provisória, o Flamengo, que não tinha contrato vigente com a Rede Globo, que era a detentora dos direitos de transmissão do Carioca, teve a oportunidade de, não apenas comandar suas partidas pela FlaTV e impulsionar o canal oficial do clube como, também, negociar a exibição de forma livre, como fez na grande final do Estadual.

O clássico contra o Fluminense, pela final do Campeonato Carioca, foi disputado em duas partidas e, o Mais Querido, mandante do jogo de volta, negociou a transmissão com o SBT e exibiu a grande decisão não apenas na FlaTV, mas também na TV aberta, levando o confronto a um maior número de torcedores e garantindo à emissora a liderança da audiência no Estado do Rio de Janeiro, superando o Jornal Nacional, principal telejornal no país, exibido no mesmo horário.