Vice-presidente do Flamengo naturaliza procura por Jorge Jesus, mas avisa: “Ele está em casa”

Desde que Jorge Jesus chegou ao Flamengo, a torcida convive com a euforia de títulos conquistados em sequência e também com a aflição de uma possível saída do treinador antes do término do contrato. Foi assim até o Rubro-Negro anunciar a extensão do vinculo com o Mister, e agora com os rumores de que o Benfica quer levar o técnico de volta à Portugal. Vice-presidente de relações externas do Fla, Luiz Eduardo Baptista, o BAP, comentou sobre o assunto.

Nesta semana, a imprensa portuguesa anunciou que o Benfica não deve continuar com Bruno Lage para a próxima temporada e enxerga em Jorge Jesus um excelente nome para assumir o comando da equipe. BAP garantiu que o Flamengo fica tranquilo com esses assédios, mas afirmou que o treinador português deve continuar no Rubro-Negro, pois o clube carioca dá tudo o que o Mister poderia desejar ter.

— A gente vê essa procura pelo Jesus com naturalidade e ficamos lisonjeados. É um reconhecimento pelo bom trabalho dele. É natural que quem almeje mudar de patamar, fazer diferente do que fez na última temporada vá atrás de grandes treinadores. Então, é natural que os clubes de Portugal o procurem. E, dito isso, acreditamos que o Jesus é nosso. Acreditamos que o Flamengo reúne fatores irresistíveis para o Jesus ficar. Acreditamos que ele considera o Flamengo como sua casa -, declarou o dirigente em entrevista ao Expediente Futebol, do Fox Sports.

Jorge Jesus obteve um sucesso até então improvável para um técnico estrangeiro no Brasil. Ao todo, já foram cinco troféus levantados: Campeonato Brasileiro e Libertadores da América em 2019, Supercopa do Brasil, Taça Guanabara e Recopa Sul-Americana em 2020. O dirigente comentou que os clubes têm que dar suporte para os técnicos de fora do Brasil, no intuito que possam ter bons resultados no futebol nacional.

— Não basta contratar um bom treinador estrangeiro. Ano passado, o mercado indicava que treinadores estrangeiros tinham menos probabilidade de funcionar no Brasil, mas entendemos que isso acontecia pela falta de preparo dos clubes. O clube tem que estar preparado para recebê-lo e dar boas condições. Nós entendemos que o Flamengo estava com um elenco e um departamento de futebol profissional maduros o suficiente para buscar um profissional fora do país -, disse, antes de prosseguir:

— Eu não sei como foi no Santos, mas tenho a impressão de que eles também se adequaram para a chegada do Sampaoli, que teve um trabalho de bastante sucesso no Campeonato Brasileiro de 2019. E, além disso, é necessário insistir na ideia. Nós tivemos momentos difíceis, como a derrota para o Emelec, para o Bahia. Mas tivemos a clarividência de não olhar para o momento, mas para o que poderia vir e fomos felizes na nossa decisão -, encerrou.

Fonte: ColunaDoFla

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui