Dirigente do Flamengo detalha “decepção” envolvendo proposta da Amazon

Muita expectativa foi criada após o primeiro contato da Amazon com o Rubro-Negro, mas as tratativas não avançaram e o clube se acertou com o BRB para patrocinador master

Recentemente, o Flamengo anunciou um acerto para patrocínio master com o BRB, que irá render ao cofre rubro-negro R$ 35 milhões fixos anuais, além de variáveis. Porém, os torcedores viveram a expectativa de acordo com a Amazon, que acabou não acontecendo. Vice-presidente de Relações Externas do clube carioca, Luiz Eduardo Baptista, sugeriu que a oferta inicial da empresa americana era de R$ 38 milhões, mas depois diminuiu para apenas R$ 14 milhões, segundo informou o portal Coluna do Fla.

— Infelizmente a conversa não foi adiante porque em algum momento a Amazon entendeu que a pandemia tinha afetado eles. A nossa visão é de que a pandemia fez a Amazon crescer ainda mais no planeta terra. (..) No meio da pandemia o câmbio chegou quase a bater a R$ 6. Então em dólares, que era a moeda deles, o Flamengo ficou baratíssimo para a Amazon — disse o cartola, em entrevista à ESPN, antes de prosseguir dando os detalhes envolvendo os valores.

— Mas Amazon entendeu que o acordo seria longo e o dinheiro era muito naquele momento. Então, bom, se você estava conversando sobre casar e agora você quer passar um fim de semana, sei lá, num resort bacana. E o casamento era de R$ 38 milhões e virou de R$ 14 milhões, olha… A gente acha que o casamento não é mais tão casamento — comentou.

Importante salientar que a parceria entre Flamengo e BRB vai durar, pelo menos, três anos. O tempo de contrato também foi um dos motivos para que não desse certo a negociação com a Amazon. Isso porque, se antes o acordo era por um ano e meio – até dezembro de 2021 — passou a ser de apenas sete meses, o que não agradou os dirigentes do Rubro-Negro.

— Na verdade você tinha uma expectativa de fechar um contrato até dezembro de 21. De repente vira um contrato até janeiro do ano que vem para a gente ver como é que fica a situação. Ora, o Flamengo ia fazer 82% dos jogos dele entre julho e dezembro. Todas as competições realmente de peso e importantes aconteceriam nesse período — finalizou o dirigente.

Publicado em BolaVip.com.