Rivais gaúchos, Grêmio e Inter se unem contra mudança na venda dos direitos de transmissão, encabeçada pelo Fla

A última quinta-feira (18), ficou marcada não apenas pela volta do futebol brasileiro com a reestreia do Campeonato Carioca, mas também por ter entrado em vigor a Medida Provisória 984, que altera a lógica dos direitos de transmissão no futebol brasileiro. O presidente da República, Jair Bolsonaro, resolveu assinar a MP após alguns encontros com o mandatário do Flamengo, Rodolfo Landim.

Em meio a isto, os rivais gaúchos Grêmio e Internacional, se uniram contra a medida. De acordo com o Uol Esporte, a dupla responsável pelo Gre-Nal entende que Bolsonaro se equivocou ao assinar o texto sem um debate prévio e o assunto acabou virando pauta na reunião entre as equipes no último sábado (19). Em entrevista à Rádio Guaíba, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr. falou sobre a assinatura da MP e os efeitos políticos que ela pode trazer para o futebol brasileiro.

— Da maneira que foi encaminhada, me parece que a demanda atendeu a interesse específico. É um ato muito pequeno e de enorme problema, enorme consequência. Consequência que pode ser boa ou ruim. O cerne de tudo está a forma como foi encaminhado: completamente sem debate prévio. É de imaturidade política, que… Bom, nem vou adjetivar. Mas nos joga no centro de um problema que é discussão da Globo com o governo federal. É tudo que não precisávamos agora. O que vai acontecer, no mérito, não posso dizer. Mas a forma como isso tudo foi encaminhado, de maneira solitária por um clube, sem a mínima preocupação de debate -, disse.