Detalhes da ‘reviravolta’: proposta de contrato inferior a um ano fez Amazon perder força por patrocínio master do Flamengo

Na última sexta-feira (19), o Flamengo anunciou o Banco BRB como Patrocinador Master. Além da exposição na parte mais nobre da camisa rubro-negro, o Banco de Brasília e o Mais Querido serão parceiros na gestão de um banco digital – a ser lançado no mês de julho.Antes disso, a Amazon parecia mais forte para assumir o posto. Porém, a empresa fez mudanças na proposta, que afastaram o acerto com o clube.

A novela sobre o novo patrocínio master surgiu quando o Banco BS2 comunicou o fim da parceria com o Rubro-Negro. A partir daí, o nome da Amazon foi cotado para assumir a posição. Porém, a negociação não foi para frente.

Segundo o jornalista Venê Casagrande informou em seu canal de YouTube, as conversas com a Amazon esfriaram após a paralisação do futebol brasileiro por conta da pandemia do novo coronavírus. A empresa alterou o valor e o tempo de contrato. De acordo com o jornalista, o Flamengo queria um ano e meio de contrato, ou seja, até o fim do mandato do presidente Rodolfo Landim, mas a Amazon queria fechar o acordo por meses, não chegava nem a um ano. Com isso, os dirigentes acharam melhor buscar outro caminho.