Carlos Augusto critica Flamengo e Vasco por reunião com Bolsonaro: ‘homicidas’

Ex-presidente do Botafogo e integrante do comitê gestor do clube, Carlos Augusto Montenegro demonstrou revolta com a reunião dos rivais Flamengo e Vasco hoje (19) com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, para tratar de um possível retorno das atividades no futebol. Em sua avaliação, os envolvidos podem se tornar “homicidas” caso levem à frente esta ideia.

“Parece coisa de clubes pequenininhos. Disseram que foi forte o que disse (ao Globoesporte) sobre o fato deles poderem se tornar homicidas, mas podem mesmo. Se forçar muito no meio da pandemia, será uma irresponsabilidade”, declarou ao UOL Esporte.

Montenegro acredita que uma volta aos treinos agora será uma “covardia” com jogadores, funcionários e seus familiares. O dirigente também lembrou o colapso no sistema de saúde brasileiro e avaliou que o que se faz necessário mesmo é discutir a situação do ensino no país:

“Coisa de doido! É até uma covardia com jogadores, comissão técnica, família… Está uma dificuldade nos hospitais e ficam falando em testezinho antes do treino? Pessoas podem se contaminar voltando para casa e depois passarão dificuldades para conseguir vaga no hospital. Não sei porque esse nervosismo do futebol. Ninguém fala da volta das universidades. Ninguém está preocupado com alunos que precisam estudar, que é o importante de verdade. Só vejo falar de treino, futebol…”.

No início de maio, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (RJ) liberou os clubes a voltarem aos treinos e emitiu um comunicado assinado por Flamengo e Vasco. Botafogo e Fluminense, porém, decidiram por não assinar o documento e se mostram contrários à volta do futebol no momento.

Fonte: UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui