Flamengo campeão da Libertadores: conheça as histórias dos jogadores e do treinador

O clube da Gávea conquistou pela segunda vez em sua história a Libertadores ao derrotar na final o poderoso River Plate, no estádio Monumental de Lima (PER), no já inesquecível 23 de novembro de 2019, dia da primeira final única do torneio.

Comandado pelo treinador Jorge Jesus, o time rubro-negro não levantava um troféu da competição desde 1981, quando a equipe de Zico bateu o Cobreloa-CHI na decisão.

Durante a campanha, o Flamengo passou apuros contra o Emelec, se classificando nos pênaltis, mas também mostrou um futebol ofensivo que encantou nas semifinais contra o Grêmio e culminou na decisão épica diante do River com os dois gols de Gabigol no final do jogo.

Na final, começaram jogando Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí, Filipe Luís, Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro, Arrascaeta, Gabigol e Bruno Henrique.

Conheça os jogadores e o treinador campeões da Libertadores:

Diego Alves (goleiro)

(Foto: Getty Images)

Quando era adolescente, Diego engordou 20 kg por causa de um tratamento contra paralisia facial feito com o medicamento cortisona. Com a nova silhueta, ele recebeu o apelido de “X-Tudo” dos colegas. Mesmo assim, não desistiu do futebol e conseguiu trilhar uma carreira de sucesso.

Rafinha (lateral-direito)

Rafinha passou mais de uma década na Europa e fez muito sucesso por Schalke e Bayern de Munique. No começo de sua trajetória, o lateral precisou enfrentar o preconceito por causa da baixa estatura no futebol alemão. Guardiola foi um dos técnicos que mais marcou a carreira do brasileiro.

Rodrigo Caio (zagueiro)

FOTO: GETTY IMAGES

Após enfrentar problemas no São Paulo, o zagueiro renasceu no Flamengo. Para seus ex-colegas de categoria de base, isso não foi surpresa. Rodrigo Caio sempre demonstrou grande liderança e superou uma grave fratura da rótula do joelho direito, aos 15 anos.

Pablo Marí (zagueiro)

Pablo marí Arsenal
Foto: Reprodução

Uma das contratações mais inesperadas do Flamengo, Marí estava há poucos meses na 2ª divisão da Espanha. Revelado pelo Mallorca, ele defendia o Nastic de Tarragona, da Catalunha, quando foi contratado pelo Manchester City, em 2016. O espanhol, porém, nunca vestiu a camisa do City, sendo emprestado ao Girona, NAC Breda, da Holanda, e La Coruña.

Filipe Luís (lateral-esquerdo)

Filipe Luís marca seu primeiro gol pelo Flamengo

A ideia de levar Filipe Luís ao Flamengo começou em um jantar informal entre amigos, em março deste ano, na cidade de Madri, na Espanha. O lateral-esquerdo estava em final de contrato com o Atlético de Madrid e revelou o sonho de um dia defender o time no qual torcia na infância. As negociações duraram alguns meses até que tudo fosse sacramentado.

Willian Arão (volante)

Arão
FOTO: REPRODUÇÃO

Arão passou de um jogador contestado pela torcida a peça-chave do Flamengo nas mãos de Jorge Jesus. Com a saída de Cuéllar, ele assumiu a função de primeiro volante da equipe e até ostentou, em mais de um jogo, a faixa de capitão. Ele já teve uma rápida passagem pela Europa e chegou a ser agenciado pelo badalado Mino Raiola, que cuida da carreira de Pogba e Ibra.

Gerson (volante)

Pai de Gerson diz não acreditar
FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Um dos maiores destaque da equipe, o volante foi contratado da Roma no meio deste ano. O atleta chegou a passar um ano no futsal do Flamengo, mas saiu porque não tinha ajuda de custos e nem recebia o dinheiro para as passagens. Voltou em grande estilo e se tornou fundamental no esquema de Jorge Jesus.

Éverton Ribeiro (meio-campista)

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Revelado nas categorias de base do Corinthians, o garoto fez sucesso como lateral-esquerdo até chegar ao profissional. Quando foi para o time de cima, porém, não conseguiu emplacar em um clube que vivia o pior momento de sua história. Emprestado ao São Caetano, ele virou meia pela mãos do técnico Antônio Carlos Zago e viu sua carreira deslanchar.

Giorgian De Arrascaeta (atacante)

FOTO: ALEXANDRE VIDAL / FLAMENGO

Nascido em um povoado no Uruguai, Arrascaeta poderia ter seguido outro caminho. Filho de um ex-jóquei, Giorgian recebeu seu nome em homenagem um cavalo muito importante nos tempos de corrida de seu pai. O uruguaio chegou a cogitar seguir a mesma carreira, mas desistiu para brilhar nos gramados. Chegou à Gávea vindo do Cruzeiro, na negociação mais cara da história do futebol brasileiro.

Gabigol (atacante)

Gabigol
FOTO: DIVULGAÇÃO / FLAMENGO

Principal artilheiro do Flamengo neste ano, Gabigol começou no futsal pelo São Paulo. Certa vez, ele marcou seis gols contra o Santos. Zito, que cuidava da base do clube da Vila Belmiro, estava na partida e convidou o garoto para defender o clube da Baixada. Ele marcou seu primeiro gol como profissional contra o Grêmio, quando não estava relacionado, mas foi chamado às pressas, acabou entrando em campo e foi às redes.

Bruno Henrique (atacante)

Bruno Henrique reforça o 'outro patamar

Até janeiro de 2012, Bruno dividia sua rotina entre o trabalho de recepcionista em um escritório no centro de Belo Horizonte e os campos de terra batida na várzea. Aos 21 anos, o atacante não esperava mais ser um jogador profissional, mas virou o “cara” e protagonista de grandes momentos do Flamengo na temporada.

Jorge Jesus (treinador)

Jorge jesus critica
Imagem: Allan Carvalho/AGIF

Jorge Jesus era pouco conhecido no Brasil até conquistar o Flamengo. Fã de jogadores brasileiros, ele é famoso pelas frases espirituosas e pela cobrança excessiva com seus jogadores. Nos bastidores, porém, ele é adorado por vários atletas, sempre enaltecido por querer tirar o melhor de cada um.

Créditos: Espn