Coordenador da CBF admite dificuldade para manter jogadores em isolamento: “Quem vai segurar mais de 10 mil atletas?”

O futebol nacional está paralisado há cerca de dois meses, por conta da pandemia do novo coronavírus. Em meio a isso, na discussão sobre o retorno, protocolos e métodos de proteção aos jogadores têm sido debatidos. Porém, para Jorge Pajura, coordenador da CBF, a grande dificuldade está relacionada ao isolamento dos atletas, o que reduz a exposição à doença.

Em sua declaração, o coordenador da entidade destacou que, pelo estilo de vida que jogadores costumam levar, a situação se torna ainda mais inviável. Além disso, a quantidade de atletas envolvidos no processo também se torna uma complicação para o retorno do esporte.

– É difícil, pois estamos falando de uma população muito jovem. Os casados têm maior possibilidade de ficar isolado. O jogador é boleiro, gosta de churrasco, de samba, mas são responsáveis. Mas como vai segurar mais de 10 mil atletas em casa? Médicos têm passado treinamento para eles, têm olhado, mas não é algo muito fácil. Todos nós estamos tentando ficar em casa.

No Rio de Janeiro, a maior parte dos clubes já se considera apta para retornar aos treinos, como exposto em carta da Ferj, assinada pelas equipes – apenas Fluminense e Botafogo foram contra a retomada das atividades. Apesar disso, decretos do governo impedem que os clubes tenham novamente uma rotina de atividades em centros de treinamento.

Retirado de: Coluna do Flamengo