Apesar da tranquilidade inicial, o Flamengo começa a se preocupar com os efeitos econômicos da pandemia de coronavírus e busca medidas para passar o período sem grandes problemas. Uma delas, que já vem sendo debatida entre comissão, jogadores e funcionários, é a readequação salarial. Em entrevista à Fla TV, o vice-presidente do clube, Marcos Braz, revelou que ele já iniciou uma conversa com os jogadores sobre a readequação durante esse período.

Até por isso, “tirou” o Flamengo do mercado enquanto a diretoria não avaliar o tamanho real da crise e decidir que pode investir com tranquilidade.

“Hoje, o Flamengo não está no mercado e não deve estar até ter tranquilidade para saber o que podemos investir. Precisamos saber o que a pandemia vai afetar nas arrecadações do clube. Eu já comecei uma conversa com os jogadores em relação à parte financeira. Não tem sentido falar para jogadores e funcionários sobre readequação salarial e ir ao mercado fazer compra. Não seria de bom senso. Por enquanto, não estamos no mercado”, disse Braz.

Por conta da pandemia, o Flamengo atrasou o pagamento da parcela do zagueiro Léo Pereira e tenta renegociar o prazo para os pagamentos de Michael e Thiago, a Goiás e Náutico, respectivamente. Vale lembrar também que a Adidas, fornecedora esportiva do clube, também não realizou o pagamento previsto para o início do mês.

A não ida ao mercado e readequação salarial é uma forma do Flamengo diminuir os efeitos da crise e paralisação do calendário, que não tem previsão para ser retomado.

HashtagRubroNegro: @matheusleal1