Marco Aurélio Cunha vê Flamengo “refém” de Jorge Jesus

Marco Aurélio Cunha, coordenador de futebol feminino da CBF, participou do programa Jogo Aberto, da TV Bandeirantes, nesta terça-feira (21), e ao ser questionado sobre o momento do técnico Jorge Jesus no Flamengo, e se acredita que o português irá renovar seu vínculo com o time rubro-negro, o ex-dirigente do São Paulo afirmou que a equipe carioca virou refém do treinador.

“Eu acho que ele renova. O pessoal fala muito do Jorge Jesus aqui no Brasil pelo grande sucesso que teve, mas não sei se ele tem essa repercussão internacional para exigir valores como ele possa ganhar no Flamengo. O mercado também conhece as pessoas. Não tenho a certeza do mercado tão aberto ao Jorge Jesus na Europa, a exceção de Portugal e Espanha, para que ele possa fazer uma exigência maior ainda do que faria ao Flamengo. Eu acho que ele fica no Flamengo, até porque o Flamengo é um pouco refém do Jorge Jesus. Quando o clube fica refém do treinador, é difícil mudar”, disse Marco Aurélio.

Ainda sobre o time rubro-negro, o dirigente fez questão de elogiar o momento vivido pelo atacante Bruno Henrique, e o apontou como o melhor jogador da posição no futebol brasileiro na atualidade. “Ele tem sido brilhante no Flamengo. Acho que acertou, o trio de ataque do Flamengo é mortal. Na minha opinião, o Bruno Henrique é o melhor atacante do Brasil no momento, jogando no Brasil. Imagine ele de um lado e o Neymar do outro… Seria um time espetacular em velocidade, em tudo.”

FERNANDO DINIZ NO SÃO PAULO:

— Acho que criou a expectativa de bom futebol. Eu sempre digo, a missão de um treinador é levar o time às decisões, porque, na decisão, tudo pode acontecer. Ninguém é obrigado a ganhar decisões, você joga para ganhar. O importante é chegar lá, e eu acho que o São Paulo tem e tinha todas as condições de chegar na final do Paulista, de poder progredir no Campeonato Brasileiro, porque o São Paulo passa a ter um treinador que tem uma filosofia de jogo. O que a gente não pode é mudar, mudar, mudar… Cada hora mudar, com conceitos completamente diferentes.

— Dessa vez, permanecendo o Diniz, com seus acertos e erros, pelo menos se adotou uma filosofia de jogo, apostar num treinador por mais tempo, que é tudo que o futebol brasileiro precisa. Se você contratou, você tem obrigação de respeitar o treinador e acreditar nele por um bom tempo, e não ficar trocando figurinha. Eu acredito muito que o Diniz possa fazer um grande ano no São Paulo.

Fonte: Torcedores