Gerson descarta mudar comemoração do ‘vapo’ no Flamengo

De férias forçadas por causa da paralisação dos campeonatos em virtude da pandemia do coronavírus, o volante Gerson foi o entrevistado da FlaTV nesta quarta-feira. Durante a descontraída conversa, ele lembrou dos bons momentos de 2019 e comentou sobre o fato de ter criado suas marcas: a comemoração do “Vapo” e o apelido de Coringa.

Gerson contou que não passa por sua cabeça criar uma comemoração diferente para esta temporada.

  • Não se mexe em time que está ganhando. Deixa essa comemoração mesmo. É vapo-vapo, não tem jeito. Não imaginava… mas graças a Deus deu certo. O “coringa” foi porque me perguntavam todo jogo sobre isso. No quinto eu não aguentei… disse para me chamar de coringa e sai. Mas acabou que “deu bom” – disse.

O jogador, que atuava pela Fiorentina, também recordou de como foi o início da negociação com o Flamengo e de uma “cobrança” feita pelo vice de futebol Marcos Braz. Na comemoração do título da Libertadores, ainda em campo Gerson foi flagrado dizendo ao dirigente a seguinte frase: “Obrigado por me tirar de lá”.

  • O mister me ligou quando eu estava de férias no brasil, me disse que contava comigo. Minha vontade sempre foi jogar no Flamengo. Já fiquei desesperado. Tive um encontro o Marcos e com Bruno (Spindel) na minha casa. Ele me disse que eu tinha que provar que eu sabia o que é jogar no Flamengo. E disse também: “Eu só viajo para trazer jogador, se eu for para Itália, só volto com você”.

Outros trechos da entrevista

FUTURO NO FLAMENGO

  • Estamos só começando. É que nem arroz saindo do fogo… fresquinho. Acabei de chegar.

APRENDIZADO NA ITÁLIA

  • Aprendi muita coisa. Obediência tática, a marcar e entender o jogo. Na Roma eu tinha mais cinco brasileiros. Na Fiorentina conheci mais estrangeiros, tenho dois amigos sérvios. O Nikola (Milenković) eu falo quase todo dia. O Dusan (Vlahovic) pegou (covid-19), mas já se recuperou. Lá o elenco era bem jovem. O treinador era muito bom também, o (Stefano) Pioli, que agora está no Milan. De vez em quando nos falamos ainda.

PERFIL DISCRETO

  • Eu uso as redes sociais, mas não sou de mostrar muito as coisas que faço. Acho até que tenho que mostrar mais. A torcida é muito grande. Até os fã-clubes pedem para eu fazer lives, aparecer mais.

SENTIMENTO APÓS AS CONQUISTAS DE 2019

  • Sentimento de alegria, orgulho… às vezes comentando com os amigos e família, penso que eu sou campeão da Libertadores. Saí do Brasil sem nem ter disputado essa competição.

RAÍZES FLAMENGUISTAS

  • Tinha vários ídolos. Ia no Maracanã antigo, na cadeira mais barata. Lembro de muitos jogadores. O Walter Minhoca… Eu gostava do Jean (atacante). Imperador…

MELHOR ELENCO QUE JÁ FEZ PARTE?

  • Essa é fácil… É só contar os títulos. É o melhor elenco que já joguei. Me impressionei, porque são jogadores consagrados e é cada um correndo pelo outro. Um dá a vida pelo outro. Assim nós vamos.

SELEÇÃO BRASILEIRA

  • Trabalho para isso, é o sonho de todo jogador vestir a camisa do seu país. Para chegar lá, tenho que fazer bem no Flamengo. Procuro dar meu 100% e tentar evoluir para chegar nesse objetivo na seleção principal.

PARCERIA COM REINIER

  • Construímos um elo forte. Além de jogar muito, é gente boa demais. A gente estava sempre junto. Teve que ir embora, mas fico feliz pelo sucesso dele. Um sonho realizado. Torço para que dê tudo certo para ele. Que ele chegue no topo do topo.

FONTE: GLOBO ESPORTE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui