CRAQUE NETO 10: Não restam dúvidas de que o Tite atingiu um nível de unanimidade poucas vezes visto na Seleção Brasileira. Antes da disputa da Copa da Rússia quase ninguém contestava a presença do treinador no cargo. Mas eliminação precoce para a Bélgica nas quartas-de-final decepcionou muita gente. Tanto é que nem a conquista da Copa América no ano passado melhorou a imagem do comandante escolhido pela CBF para mais um ciclo de Mundial.

Só que a pergunta que muita gente me faz nas ruas é: não caberia o português Jorge Jesus nesse cargo? Vou ser sincero que há algum tempo eu tinha uma pulga atrás da orelha em relação aos técnicos gringos por aqui. Até porque a história mostrava que esses profissionais não conseguiam se adaptar no futebol brasileiro. Agora o trabalho que esse lusitano fez no Flamengo é algo impressionante. Poxa vida! Hoje dá pra falar que ele tem mais títulos no clube carioca (5) do que derrotas (4). É brincadeira???

Até por isso, hoje em dia eu não acharia tão absurdo se a Confederação trocasse o comando da Seleção. O Jesus caberia bem sim no cargo, assim como a possibilidade de um Guardiola, por que não? O espanhol também está vivendo sérios problemas com o extra-campo do Manchester City e não acharia tão absurdo vê-lo no comando do time verde-amarelo. Até acho que se encaixaria bem, afinal sempre só são convocados mesmo jogadores que atuam na Europa, não é verdade? Ué, quem melhor que ele para avaliar?

Sei que não é o melhor momento para essa análise, até por causa dessa onda negativa da pandemia pelo mundo. Mas fica essa reflexão para a CBF. Talvez seja a hora de pensarmos no melhor para reerguer nossa Seleção.