Flamengo importou meia tonelada de sementes dos EUA para a Gávea

O DIA: Por Venê Casagrande

O futebol brasileiro está paralisado e não tem data para retornar, por conta da pandemia da Covid-19, mas os trabalhos para a melhoria do gramado do campo da Gávea, onde os times das categorias de base do Flamengo costumam atuar, continua a todo vapor. O processo entrou em fase final e está perto de ser finalizado.

A empresa responsável pela obra, a Greenleaf, a mesma que faz a manutenção dos campos do Centro de Treinamento Ninho do Urubu e do Maracanã, iniciou o trabalho no começo de fevereiro. O local tinha terreno antigo, sendo mais de 15 anos fazendo diversos replantios com vários tipos de grama. Com isso, a uniformidade de textura e a coloração se tornaram impossível.

Então, a partir deste processo, o campo da Gávea agora contém apenas um tipo de gramado, a “Bermudas Mirage 2”. Ao todo, a empresa importou meia tonelada desse tipo de semente dos Estados Unidos para que o gramado ficasse em perfeito estado para a utilização.

A última etapa para finalizar a obra é a “top dresser de micro”, que em outras palavras significa a regularização do nivelamento do terreno. Quando a bola voltar a rolar no Brasil, os Garotos do Ninho poderão, enfim, atuar em casa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui