Empresário revela plano de carreira para Bruno Henrique no Flamengo

Campeão da Copa Libertadores da América, do Campeonato Brasileiro, convocado por Tite para a seleção brasileira e super decisivo, Bruno Henrique vive uma fase mágica. Mas nem tudo foram flores na vida do atacante, que entre a várzea e a maior conquista de sua vida profissional, teve que passar por vários obstáculos. Ao lado dele, no entanto, apareceu Dênis Ricardo, sócio diretor da DR3 Sports, empresa que gerecia a carreira do camisa 27.

Foi no início da década que Dênis conheceu um jovem fenômeno que chamava à atenção nos campos de várzea de Belo Horizonte. Na ocasião, um jornalista que acompanhava os jogos de Bruno Henrique foi o responsável por fazer a ponte entre os dois.

“Ele me foi apresentado através de um jornalista que morava no bairro dele e acompanhava ele o irmão nas competições amadoras de Belo Horizonte. Ele me apresentou para que eu pudesse criar um plano de carreira para ele e para o irmão. Isso foi no final de 2011, início de 2012”, revela Denis Ricardo, em entrevista exclusiva a reportagem da Goal.com.

Desde então, Dênis Ricardo, que é um dos maiores ídolos da história recente do América-MG, tem trabalho gerenciado a carreira de Bruno Henrique. Entre clubes menores, de divisões inferiores, BH viu seu irmão desistir do sonho, mas seguiu persistindo até desembarcar em Goiás, para a grande chance de sua carreira.

“O Goiás foi o divisor de águas na carreira dele, ele vindo de competições de níveis inferiores, jogando segunda do estadual em Minas, segunda do estadual em Goiás e aí em 2015 ele teve a grande oportunidade de jogar a primeira divisão do estadual e disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro, onde ele foi destaque. Foi a autoafirmação dele como um jogador de um nível elevado”.

Com a camisa do Esmeraldino a ascenssão foi meteórica e ano ano seguinte Bruno Henrique já estava disputando a Champions League, sendo eleito o melhor jogador da partida num confronto contra ninguém menos que o poderoso Real Madrid.

“Foi um jogo marcante na carreira dele, aconteceram umas coisas que normalmente não acontecem num jogo. Acontece com o Bruno às vezes e eu destaco esse jogo contra o Real Madrid, ele não fez gol, o Wolsfburg ganhou de 2 a 0 e ele foi eleito o melhor em campo. Foi marcante, a primeira partida como titular, mostrou o cartão de visita dele, mostrou que estava pronto”, relembra Denis.

Depois de uma lesão que sofreu na tíbia, Bruno Henrique perdeu sequência no Wolsburg e ao lado da família, sentiu vontade de regressar ao Brasil. Foi então contratado pelo Santos em 2017, por cerca de 4 milhões de euros. O início no Peixe também foi promissor, mas de novo, uma lesão esteve no caminho do atacante, esta ainda bem mais séria. No dia 17 de janeiro de 2018, diante do Linense, pelo Campeonato Paulista, Bruno Henrique sofreu cinco lesões diferentes no olho direito após levar uma bolada no rosto. Naquele momento, temeu-se que a visão do atacante ficasse comprometida.

“Fomos para a Alemanha, porque a gente tinha que fazer o exame fora do país, seria nos Estados Unidos mas ele não tinha visto, nós tivemos dificuldades para tirar o visto de emergência, foram várias complicações. Fomos direto para a Alemanha. Acompanhei tudo com o Jorge Merouço, médico do Santos, temos um carinho grande por ele. Momento crítico, delicado na carreira do Bruno. O médico fez o exame final, diagnosticou a lesão, teve o tratamento adequado e o Bruno voltou a jogar. Foram meses de muita apreensão, mas foi superado, procuramos lembrar disso como página passada e hoje ele está enxergando o gol até maior”, relembrou Dênis Ricardo.

Superada a lesão, Bruno voltou a jogar mas ficou pouco tempo no Santos, em janeiro de 2019 acertou a chegada ao Flamengo para viver um verdadeiro sonho

“A gente acreditava no sucesso do Flamengo, a primeira certeza disso é que aceitamos e concretizamos, isso já era uma resposta. Quando você vai para um clube, você vai esperando conquistar títulos e foi o que aconteceu. Vivemos um sonho no ano de 2019 e esperamos que esse sonho dure bastante tempo, porque um clube da grandeza do Flamengo, pelo o que fez ano passado, a responsabilidade só aumenta”, disse o agente.

O ano de 2019 foi o melhor da carreira de Bruno Henrique, além dos títulos, teve grandes atuações, marcou muitos gols, assistências e ganhou o carinho da torcida, motivo que o tornou um jogador cobiçado no mercado. Em dezembro, algumas propostas e sondagens chegaram para o atacante, que decidiu que era hora de criar raízes e se tornar cada vez mais ídolo no Flamengo.

“Nós prorrogamos, refizemos um contrato, ele ainda tinha contrato em vigor, muita gente se confunde. Pelo sucesso que ele teve em 2019 junto a equipe, o Flamengo e nós entendemos que poderíamos reformatar o contrato. Discutimos isso a longo tempo e a decisão realmente tendo oportunidade de sair para outro mercado, com propostas, e como tudo na vida do Bruno é muito bem pensado não só por nós mas por ele também, acreditamos que é o momento dele tentar se afirmar como ídolo do torcedor, se identificar cada vez mais com a camisa, tentar retribuir a confiança do Flamengo, retribuir com a parte técnica, respeito a camisa e que conquistem mais títulos também. A decisão da prorrogação foi vislumbrando um sucesso nessa parceria que começou muito bem e esperamos que seja duradoura”.

Com grandes títulos, assistências e gols decisivos, Bruno Henrique virou febre entre os torcedores do Flamengo. A frase “outro patamar”, dita pelo atacante após um clássico contra o Vasco virou jargão e é utilizada até mesmo pelo técnico Jorge Jesus. Para aproveitar todo o sucesso do atacante e conectá-lo cada vez mais com a torcida, a DR3 Sports lançou uma marca inspirada no camisa 27. Trata-se da BH27, que traz uma linha exclusiva de produtos como copos, camisas, bonés e outros acessórios. Tudo administrado por Dênis Ricardo e voltado para oferecer boas experiencias aos rubro-negros e amantes do futebol.

“A BH27 está engatinhando ainda, usa o momento do esporte, com materiais que atendem o pessoal que gosta de esporte, com frases marcantes dos atletas, a do Bruno mesmo é uma que tem sido usada não só por nós mas por muita gente que é o “outro patamar”. Vai sair ainda esse ano o “Otopatamarzinho”, a linha infantil. O pessoal do Flamengo usa a logo também nos copos, vai sair ainda alguns chaveiros, o torcedor poderá se identificar cada vez mais e ter uma lembrança personalizada. Está crescendo e esperamos ter sucesso com o projeto”.

GOAL: Raisa Simplicio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui