Simplicity investirá R$ 2,5 milhões no e-Sports do Flamengo

e-Sports do Flamengo
Foto: Divulgação

Muito debatida e polêmica, a reformulação no modelo de gestão do Flamengo manteve o time forte no principal torneio de esporte eletrônico brasileiro. No início deste ano, o Rubro-Negro licenciou o departamento de esporte eletrônico, que agora é tocado por uma empresa terceirizada. Um assunto envolto em muitas perguntas até então. Agora, com exclusividade, o blog teve acesso ao contrato celebrado entre o Rubro-Negro e a empresa americana Simplicity.

O contrato está registrado no equivalente à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA. O órgão é responsável por disciplinar, regulamentar e fiscalizar os integrantes do mercado mobiliário, ou seja, de ofertas públicas, como ações, por exemplo. Por ser uma empresa de capital aberto, todos os acordos precisam estar abertos ao público.

O contrato foi formalizado no dia 20 de janeiro, apenas seis dias antes do início do CBLoL. Isso explica a demora e o silêncio do departamento nas redes sociais. O documento, entretanto, coloca retroativamente a data de 5 de novembro como “início” da parceria – quando a nova diretoria teve o sinal verde para ir ao mercado contratar jogadores. A demora na celebração do acordo foi provocada pela movimentação interna lenta no jurídico do Rubro-Negro e também pela burocracia do processo.

Acordo é de três anos e prevê pagamento de meio milhão de reais

Simplicity e Flamengo tem contrato válido por três anos, até dia 31 de dezembro de 2022, com opção de renovação em comum acordo. No documento, a empresa americana se compromete a pagar ao longo da parceria um valor de pouco mais de R$ 500 mil (R$ 170 mil, R$ 185 mil e R$ 200 mil, no primeiro, segundo e terceiro ano, respectivamente) ao Flamengo.

Além disso, o Rubro-Negro também terá participação em todas as receitas viabilizadas pelo esporte eletrônico. O royalty é de 8% do bruto arrecadado. No momento, o clube não estampa marca alguma em sua camisa. Porém, o atraso na assinatura do acordo também atrapalhou nos tratados de marketing. A expectativa é de anúncios nas próximas semanas. O contrato celebrado também prevê que o Flamengo tem que aprovar previamente qualquer acordo com marcas que pretendem se associar ao esporte eletrônico do clube.

Obrigação de rendimento e espaço para novas modalidades

Além das obrigações financeiras e de expansão de imagem, o acordo com a Simplicity também traz obrigações esportivas – por ora, apenas no LoL. Uma espécie de cláusula antifracasso. O time precisa ficar obrigatoriamente entre os seis melhores da competição. Ou seja, não pode sofrer queda automática nem cair na Série de Promoção do torneio. Caso contrário, o Flamengo pode, sem multa, pedir a rescisão unilateral do acordo.

Outro detalhe interessante e que desperta muito interesse da comunidade é a possível entrada do Flamengo em outros esportes eletrônicos, além do League of Legends. No acordo assinado, é aberto espaço para o investimento em demais modalidades. A iniciativa deve partir da Simplicity com anuência da diretoria do Rubro- Negro.

Os nomes fortes nos bastidores

Nova parceira do Flamengo para o esporte eletrônico, a Simplicity é capitaneada por Jed Kaplan, empresário do mundo esportivo com investimentos pesados. Ele é sócio, por exemplo, do Memphis Grizzlies, da NBA, e também o Swansea City, time da segunda divisão do Campeonato Inglês. A empresa contratou o ex-funcionário do departamento de marketing do Flamengo, Fred Tannure, como gerente geral da empresa. O profissional estava conectado com o assunto no clube carioca desde o início da ideia.

O acordo também mostra que 10% da Simplicity tem como proprietário a Team One, chefiada por Alexandre “Kakavel”. O gestor faz dupla com Tannure no comando da rotina do esporte eletrônico Rubro-Negro. Aliás, o que facilitou a contratação de jogadores dos Golden Boys, com destaque para Luis “Absolut”, hoje atirador titular da equipe rubro-negra.

FONTE: BLOG DO CHANDY

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui