Clubes e CBF se reúnem para discutir suspensões contratos de imagem e antecipação das férias dos jogadores

O Flamengo entrou em campo no último sábado (14), em partida contra a Portuguesa, pela Taça Rio. O Rubro-Negro venceu por 2 a 1, marcando o gol da virada já nos acréscimos. Porém, devido ao surto do coronavírus, todos os campeonatos foram paralisados, sem prazo para recomeçarem. Por isso, os dirigentes dos clubes brasileiros estão preocupados com as receitas e vão se reunir com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A reunião vai acontecer nesta sexta-feira (20), por conferência telefônica. O intuito é minimizar os danos para os clubes, debatendo assim a antecipação das férias, além da suspensão de contratos de imagem. A informação foi divulgada inicialmente pelo Uol Esporte. Os dirigentes estão receosos com o fato das receitas serem afetadas negativamente, como diminuição das quantias da televisão, patrocínio e bilheteria.

Com medo de não conseguir arcar com os vencimentos dos atletas, os mandatários defendem a possibilidade de não pagar contratos de direitos de imagem, com a alegação de que não estão “usando” os atletas. Porém, a legislação do Profut associou o direito de imagem ao salário e limitou a 40% do total recebido pelos jogadores. Sendo assim, um corte pode levar o caso para a justiça. Sendo assim, existe a discussão de suspender os contratos, retomando-os após a parada.

A ideia inicial do clubes é ter propostas conjuntas e feitas com aceitação dos sindicatos de jogadores, que admite a possibilidade. Assim, poderia haver um consenso para evitar questionamentos posteriores. Tudo isso, claro, considera o fato de que os clubes ainda não têm a confirmação de quanto tempo será a parada pelo coronavírus. Mas a intenção é determinar medidas com urgência.

Outro tema que será debatido entre os dirigentes e a CBF é a possibilidade de antecipar as férias dos jogadores, seja por 15 dias, fracionando o restante, ou seja por 30. O tempo ainda será discutido, pois há quem defenda uma ideia, enquanto outros defendam dar a folga por completo. O intuito é de que os atletas possam disputar jogos em dezembro e janeiro, caso haja mudança no calendário do futebol nacional.

FONTE: colunadofla

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui