Jorge Jesus repete que Flamengo está em outro patamar e diz: “Ainda temos muito a conquistar”

Campeão pelo Flamengo mais uma vez, o técnico Jorge Jesus concedeu entrevista coletiva no Mané Garrincha após a vitória por 3 a 0 sobre o Athletico Paranaense e a conquista da Supercopa do Brasil. Ele voltou a dizer que o time está em outro patamar em termos de objetivos, mas ressaltou que ainda há “muito a conquistar”.

Questionado se o título cala as críticas que recebeu nos últimos dias por conta de suas declarações, o técnico respondeu:

– Essa pergunta pode me deixar um pouco embaralhado. Mais um título que este time ganhou e, por isso, volto a dizer, que o Flamengo em termos de objetivo está em outro patamar. Eu acho que falo português. Foram 30 minutos fantásticos, contra um adversário muito bem montado. Ofensivamente o Athletico tem um sistema posicional que, se entenderes bem, não é difícil de parar.

Ao analisar a atuação das duas equipes, Jesus considerou que foi justa a vitória do Flamengo:

– Eles tiveram duas chances de gol e portanto fomos justamente os vencedores. Este clube obriga a quem trabalha nele a pensar alto. Mas também quero dizer à Nação: vocês têm de ter orgulho dessa equipe. Ainda temos muito a ganhar e conquistar.

Ele respondeu ainda sobre a postagem em perfil da rede social oficial do Athletico de que jogaria pelo futebol brasileiro. Jesus rebateu:

– Quer dizer que tinha a maioria da torcida? Mesmo assim é muito difícil, porque a torcida do Flamengo é muito grande. Mesmo que juntem todos, tenho impressão de que não conseguem.

Confira a íntegra da coletiva de Jorge Jesus

Objetivos


Os objetivos do Flamengo são diferentes. Mas não deixa de ser uma equipe igual a todas as outras do Brasil. Nós respeitamos muito. Estamos no mesmo nível que eles, mas felizmente, nos objetivos, estamos em outro patamar

Recopa

Temos três dias para a Recopa e vamos tentar recuperar a equipe num ambiente que não conheço bem, que é a altitude. Mas o Flamengo não ganha só por ter um time de qualidade, e sim por ter toda uma estrutura e uma Nação atrás.

— Foto: REUTERS/Adriano Machado

Jogo na altitude

Não tenho muita experiência na altitude. Temos um departamento muito competente, que está preparando os jogadores há alguns dias. Não temos muito tempo. Vou ver como a equipe vai reagir fisicamente até lá.

Pedro e Pedro Rocha

Não é fácil entrar neste time. Não só pela qualidade, mas estes jogadores que jogam têm oito meses comigo. Trabalhamos não só a técnica, mas componentes táticos e movimentações, que são importantes. Essa equipe têm muito tempo e joga já quase de olhos fechados. Estes novos ainda não sabem a movimentação da equipe. De pouco a pouco vamos introduzindo. Alguns jogadores que chegaram vão ter que esperar mais tempo. Mas o crescimento e a aprendizagem devem estar mais próximos para que possam jogar.

Folga no Carnaval

É uma data cultural do povo brasileiro. Eu percebi isso. Nós em Portugal temos um dia de feriado. Vocês têm uma semana. Mas no futebol, quando se enquadra o calendário, nós temos que olhar primeiro para a nossa responsabilidade. Em função do segundo jogo na Recopa, este Carnaval vai ter que deixar de existir. Vai ser mais dentro de casa.

Dedicação e afinidade

Estou seguro de que já tive oportunidade de dizer que nunca trabalhei com jogadores que fossem tão apaixonados, dedicados e profissionais, que acreditassem tanto no líder que trabalha com eles.

Por Felipe Schmidt e Fred Huber

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui