Filipe Luís e Rafinha revelam “pacto” dos jogadores de defesa na final da Libertadores

Filipe Luís e Rafinha revelam “pacto” dos jogadores de defesa
FOTO: ERNESTO BENAVIDES / AFP

A TV Fla lançou um novo programa exclusivo no Facebook. A estreia do “Resenha do Jogador” teve a entrevista de dois dos jogadores mais importantes do elenco Rubro-Negro: Rafinha e Filipe Luís. Os laterais relembraram os momentos marcantes do jogo decisivo na final da Libertadores contra o River Plate.

— Foi mais um pacto. Cada um, na defesa, sempre tem que está na ajuda do outro, na cobertura, fechando os espaços e, na final, foi basicamente isso. Nós não vamos cometer nenhum erro. Vamos fazer um jogo perfeito da marcação lá atrás. A gente sabia que se não tomasse gol, a gente iria fazer e ser campeão. Acabamos tomando um gol, mas fizemos um jogo defensivamente muito bom e conseguimos fazer o gol no final e virar esse jogo, relembrou o lateral-esquerdo.

Gabigol foi o único jogador que tocou a taça na entrada do time ao campo de jogo. Sobre esse momento, a repórter indagou se seria uma tradição não tocar porque daria azar, embora neste tenha trazido sorte. Aos risos, Rafinha comentou sua relação com ritos e superstição. 

— Para decisão assim, eu tenho sorte em final. Mas não tenho uma superstição assim de relar na taça. Eu sou supersticioso demais. Naquele minutinho, eu acho que sou o pior que tem. Pessoal fala que dá azar, mas o Gabi, acho que deu o reverso. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui