Jogador da base do Flamengo se manifesta após gritos de “time assassino” da torcida tricolor

Flamengo e Fluminense se enfrentaram na última quarta-feira (29), mas o assunto no pós-jogo acabou não sendo somente o futebol. Durante os 90 minutos, a torcida tricolor disparou gritos de “time assassino”, lembrando da tragédia que aconteceu em fevereiro do ano passado, no Ninho do Urubu, vitimando dez meninos.

Formado no clube e jogando nas categorias de base do clube, Caio Roque fez questão de se posicionar sobre a atitude dos rivais. Em um post no Twitter, o jogador rubro-negro escreveu a frase que ficou famosa com Adriano Imperador: “Que Deus perdoe essas pessoas ruins”.

Veja a publicação

Na entrevista coletiva pós-clássico, o técnico Maurício Souza também falou sobre o ocorrido e lamentou a provocação com um assunto que não será esquecido.

– O grito da torcida do Fluminense, não controlamos. Não há assassinos no Flamengo. Nos machuca até hoje, vai ficar marcado na história. Eles tentaram nos ferir e acho um absurdo. Tinham que ter mais consciência, foi um trauma para todos nós.

Por Coluna do Flamengo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui